Classe política une forças pela saúde de Rondonópolis

Um força tarefa de Rondonópolis formada pelos vereadores Reginaldo Santos – PPS, Fábio Cardozo – PDT, Hélio Pitchioni – PSD, secretária municipal de Saúde Izalba Albuquerque, representante da Associação Espírita Beneficente Paulo de Tarso Anneharie Pfann Tonczyk, deputados estaduais Nininho – PSD, Sebastião Rezende, Max Russi e Thiago Silva – MDB esteve reunida na quinta-feira (31), em Cuiabá, com o secretário estadual de Saúde Gilberto Figueiredo.

O encontro agendado pelo recém-empossado Thiago Silva, foi pautado pela atual situação da saúde de Rondonópolis. Boa parte da conversa tratou da precariedade financeira da Santa Casa, Hospital Regional e Hospital Paulo de Tarso. Nas últimas semanas a Comissão de Saúde da Câmara, formada pelos vereadores citados acima e o deputado Thiago Silva percorreram as unidades e levantaram as principais demandas. As unidades atravessam momento financeiro crítico. O governo anterior deixou uma dívida de R$ 16. 076.000,00.

A cobrança foi pela regularidade nos atrasos que se agravaram em 2018. “Pedimos ao secretário atenção especial com nossa região, uma vez que somos referência para quase 500 mil pessoas. O Paulo de Tarso que faz atendimento 100% SUS está com 8 meses de repasses atrasados. A Santa Casa, só na atenção básica tem R$ 3 milhões para receber de pagamentos atrasados. O secretário mostrou muita disposição para reverter esse quadro. Sai da reunião convencido que existe um compromisso. Agora é o momento de aguardar uma reposta do Estado”, comenta Thiago Silva.

O vereador Fábio Cardozo confirmou que o governo caminha para resolver situação. Para o Paulo de Tarso foram liberados dois pagamentos e para a Santa Casa um. “Esse dinheiro é importante, mas sabemos que não é suficiente. Por isso pedimos que seja planejado uma estratégia que consiga organizar uma previsão para os repasses atrasos. Essa é a única forma das coisas voltarem a caminhar e oferecer um serviço de qualidade”, conta.

Para o vereador Reginaldo Santos o Estado demostrou boa vontade em debater a questão, que é grave. “Embora exista uma boa vontade, o cenário ainda é nebuloso. O governo afirmou que vai analisar o pagamento da dívida, dia a dia. A perspectiva é que partir de junho possamos começar a ver uma luz no final do túnel. Espero que com incremento de algumas medidas esse prazo diminua. Nossa saúde está doente e ela precisa se recuperar o mais rápido possível. A comissão vai continuar empenhada em buscar alternativas para Rondonópolis e consequentemente cidades da região”, conclui.

Raio-x

A Santa Casa de Rondonópolis é referência para o município e outras 19 cidades da região. São mais de 100 médicos vinculados a unidade, nas áreas de obstetrícia, cardiologia, pediatria e UTI’s adulto e pediátrica.

Já o Hospital Regional de Rondonópolis Irmã Elza Giovanella é referência em atendimento de média e alta complexidade para Rondonópolis, Alto Garças, Alto Araguaia, Alto Taquari, Araguainha, Campo Verde, Dom Aquino, Guiratinga, Itiquira, Jaciara, Juscimeira, Paranatinga, Pedra Preta, Poxoréu, Primavera do Leste, Santo Antônio do Leste, São José do Povo, São Pedro da Cipa e Tesouro) da região sudeste de Mato Grosso. Mensalmente, em média, 450 cirurgias, 2.600 atendimentos e 9.922 procedimentos.

Associação Espírita Beneficente Paulo de Tarso é um prestador de serviço 100% SUS. A entidade dispõe de 82 leitos e atende 210 pacientes do Centro de Atenção Psicossocial.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *